domingo, 26 de junho de 2011

Escorro




















Estou aqui, inteira.
Dividida, subdividida,
tripartida,
projetada.
Líquida, transbordada,
escorrida.
Borbulho, cresço,
deslizo.
Me espalho,
invado,
penetro.
Umidade morna,
sem firme forma,
existo.
Tocável e intocada.
Um tudo,
e um nada.

Analú

















Crédito da imagem: http://www.deviantart.com/

3 comentários:

Paulo Brasil disse...

Parece-me uma unidade (exterior ou aparente) fragmentada pela busca de respostas não encontradas.

Mesmo estando aqui, não há identidade, tampouco lá (que não sabe onde é).

Paulo

Diego Duá disse...

Ô Ana, é a matéria primeira de Aristóteles não é?
Ficou muito bom.

Edson Marques disse...

Belíssimo poema!

Flores...